Escritores Guest Posts

6 dicas para publicar um livro independente, por Juliano Schiavo

publicação independente 1

Recebi, com grande surpresa, um convite da Brenda para falar sobre algum assunto ligado à área de literatura. Pois bem, vamos lá! Espero que este texto possa trazer alguma ajuda àqueles que têm o sonho de publicar um livro. Neste caso, de forma independente.

Uma das perguntas mais comuns que recebo, tanto do mundo real, quanto virtual, é sobre como publicar um livro. Sempre que esta pergunta surge, abro um sorriso e vou logo dizendo: “Não é algo fácil, por isso é preciso ter perseverança”. Basicamente, é isso mesmo. Publicar um livro é um trabalho de formiguinha. Principalmente se a publicação for de forma independente.

Ao longo de minha trajetória, no caminho das letras, optei por trabalhar de forma independente. Primeiro, por ter cansado de enviar meus livros a editoras tradicionais, esperar meses por respostas e, quando as mesmas chegam, a devolutiva não é a mais agradável. Tentar por vias tradicionais é um processo moroso, ainda mais num País em que a literatura nacional não recebe tanto valor.

Dizem que quando as portas se fecham, aprendemos a usar as janelas. Foi o que fiz no que diz respeito à publicação de livros. Por falta de oportunidades, aprendi o processo de publicação independente. Aprendi também que, na literatura nacional, o escritor independente precisa ter em mente que é ele quem vai fazer toda a diferença para ter o livro publicado ou não.

Desta forma, reuni alguns tópicos que acho interessante partilhar:

1. Tenha um livro escrito

Não pense em publicar um livro antes mesmo de escreve-lo. É preciso que ele primeiro nasça para que então ganhe corpo. Muitas pessoas, antes mesmo de começar a escrever, desistem de continuar o projeto por pensarem além. Se frustram por acharem demasiado difícil e, assim, o livro torna-se natimorto: morre na concepção. Por isso, escreva antes o livro e, enquanto o produz, foque apenas nele.

2. Revise e edite seu livro

Um bom livro se faz com uma boa história e com um texto envolvente e sem erros gramaticais e ortográficos. Portanto, quer ganhar pontos? Após terminar de escrever o livro, deixo-o guardado por um tempo. Depois, leia, revise e edite o texto (corte o que não é necessário). Inclusive, vale a pena investir num revisor, que vai pegar os errinhos que, muitas vezes, ao lermos nosso próprio texto, não percebemos.

3. Ilustração da capa

Uma boa capa vende. As pessoas julgam o livro pela capa sim. Portanto, pense em uma capa chamativa, com um título de livro que seja atraente. Vale a pena contratar um capista profissional, ou mesmo algum conhecido que saiba ilustrar e tenha os traços que vão fazer com que o seu livro ganhe uma bela capa.

4. Publicação

Você tem três caminhos de publicação independente: publicação virtual, por demanda, ou em grande tiragem em gráfica. Vejamos elas:

4.1) Publicação virtual

É a mais fácil de ser feita. Você pode criar uma conta na Amazon, Kobo ou mesmo no Clube de Autores, entre outros sites. Neles, você se cadastra e posta seu livro virtualmente, podendo vende-lo ao preço que você estipular. OBS: há manuais que podem te auxiliar nesta publicação. Ah, já ia me esquecendo: existe uma rede virtual chamada Wattpad. Nela você pode escrever e publicar o seu livro, como se fosse um blog. Vale a pena se aventura, por conta das interações que ocorrem com os leitores.

4.2) Por demanda

Quer fazer um lançamento físico, sentir o cheiro de papel do seu livro? Você pode optar por publicação por demanda. Ou seja: você imprime quantos livros quer. Essa opção, geralmente, é a que cabe melhor no bolso (porém o preço dos livros é bem salgado). Alguns sites: Clube de Autores, Amazon e Câmara Brasileira do Livro. OBS: em alguns sites você encontra até o modelo para colocar seu livro no formato final de impressão.

4.3) Grande Tiragem

Quer publicar 500 ou mil exemplares? Tem dinheiro para isso, beleza! Quanto mais livros se imprime, mais baixo é o valor por unidade. Porém, quando você opta por esta opção, lembre-se de que será necessário fazer um livro completinho: com ISBN, ficha catalográfica, código de barras, entre outros elementos que o possibilitarão colocar o livro no mercado. Além disso, será preciso diagramar o livro, fazer a capa, enfim, preparar este material para que o mesmo possa ser impresso. O único problema é que, se você fizer mil exemplares, você terá que dar um jeito de fazer eles fluírem até os leitores. E confesso: não é nada fácil vender livros. É preciso muito suor para encantar os leitores e despertar o interesse pelo seu livro.

5. Vendas e divulgação
publicação independente 2

Lançamento do livro O Balanço Vazio em Americana, com a participação de diversos artistas, em dezembro de 2016.

Aqui é o grande problema. Você pode ter um livro lindo, mas como escritor independente, você estará praticamente sozinho para se colocar no mercado. Qual o melhor caminho? O importante é entender que você é sua marca: fale do seu livro, faça parcerias com blogueiros (eles são essenciais para difundir os livros nacionais), participe de eventos, promova pequenos lançamentos, faça seu nome aparecer. Construa, portanto, sua imagem.

6. Não desista

Somos escritores independentes e não desistimos nunca. Este é o lema. Se eu fosse contabilizar os nãos que ouvi em meu percurso, jamais teria publicado nenhum livro. Acho que ouvi tantos nãos, que calejei. As pessoas que estão ao nosso lado, muitas vezes, não nos incentivam. Colocam-nos pra baixo, não acreditam em nossas ideias, nos fazem desistir. Portanto, quer uma dica de coração? Se você tem vontade de ter um livro publicado, siga firme em seu propósito. E tenha sempre a humildade de entender que, neste mundo das letras, é preciso sempre ajudar um ao outro. Leia autores nacionais independentes, comente sobre eles, faça o trabalho deles também ser reconhecido. Mesmo sozinhos, devemos procurar aqueles que entendem nossas dores. A caminhada fica melhor. Vale a pena.

Espero que estas dicas possam ter tirado algumas dúvidas. São os principais elementos de quem quer publicar de forma independente. E o mais importante: siga seu caminho. Não leve essas dicas como as mais puras verdades. Elas funcionaram para mim, mas podem não ter serventia para você. Cada um é cada um e, portanto, tem sua história de vida por trás, bem como suas possibilidades. Apenas lembre-se que, caso queira ser escritor independente, é preciso sempre seguir em frente. Caiu? Tropeçou? Bote um sorriso na cara e siga em frente. Enfrente. Sempre pra frente.


Juliano Schiavo Sussi nasceu em Americana-SP no dia 22 de julho de 1987. É formado em jornalismo pelo Instituto Superior de Ciências Aplicadas – Limeira, com pós-graduação em Jornalismo Contemporâneo pela Unimep – Piracicaba.  É formado em Ciências Biológicas pela UFSCar de Araras-SP e é mestre em Agricultura e Ambiente pela UFSCar – Araras-SP. É autor dos livros O Balanço Vazio, Sociedade do Lixo, O Silêncio das Mariposas, O Mundo Além da Ponte de Amoreira, Hocus Pólen – O Feitiço da Bruxa, entre outros.

Site:  http://julianoschiavo.wixsite.com/livros

Blog: www.julianoschiavo.blogspot.com

Leia a resenha de O balanço vazio de Juliano Schiavo no SLET.

Sobre o autor

Brenda Bellani

Deixe um Comentário