Eu recomendo Séries e filmes

As minhas séries preferidas de 2019

As minhas séries preferidas de 2019 - Sobre livros e traduções

Eu nunca assisti a tantas séries antes como em 2019. O Chrome Cast facilitou transmitir do laptop ou Netflix para a TV. Por consequência, sempre que tinha um tempo livre, inclusive no almoço, ao invés de ler, eu via mais um capítulo de qualquer série que estivesse acompanhando no momento.

Ter me mudado para São Paulo e trabalhar em casa também ajudaram. Como passo a maior parte do dia sozinha, ver TV é uma maneira de me sentir menos solitária.

A maioria das séries a seguir, eu assisti sozinha. Algumas das melhores, entretanto, como Patriot Act, Atlanta, Merlí, Succession e Chernobyl, foram uma atividade a dois com o meu marido.

Séries que eu assisti em 2019

(Os itens que aparecem sem especificação de temporada são minisséries ou eu assisti todas as temporadas atuais em 2019.)

  1. Gilmore Girls: reassisti a todas as temporadas e revival da Netflix
  2. Peaky Blinders
  3. The Good Place
  4. After Life
  5. Sex Education
  6. The Umbrella Academy
  7. Ordem na Casa com Marie Kondo
  8. Boneca Russa
  9. American Crime Story: The assassination of Gianni Versace
  10. The Defiant Ones
  11. Christiane Amanpour: Amor e Sexo pelo Mundo
  12. Atlanta: reassisti as duas temporadas
  13. Master of None: reassisti às duas temporadas
  14. Grace and Frankie: assisti à primeira temporada e não gostei
  15. Friends from College: temporada 2
  16. Você
  17. Black Mirror: temporada 5
  18. Stranger Things: temporada 3
  19. Good Girls: temporada 2
  20. Disque Amiga para Matar
  21. Queer Eye
  22. GLOW: temporada 3
  23. Mindhunter
  24. Fleabag
  25. Killing Eve
  26. Chernobyl
  27. This is us
  28. Patriot Act
  29. Years and Years
  30. Merlí
  31. Atypical
  32. The end of the f***ing world: temporada 2
  33. Inacreditável
  34. Cara X Cara
  35. The Politician
  36. Pose
  37. Rick and Morty: reassisti a todas as temporadas
  38. The Morning Show
  39. Big little lies
  40. Succession
  41. Maravilhosa Sra. Maisel
  42. La casa de papel: temporada 3
  43. Looking for Alaska

As minhas séries preferidas de 2019

Eu listei apenas as séries que foram novidade para mim em 2019. Gilmore Girls, Atlanta e Rick and Morty, por exemplo, eu reassisti a todas as temporadas e elas continuam sendo algumas das minhas preferidas de todos os tempos.

1. Atypical

As minhas séries preferidas de 2019 - Sobre livros e traduções

Eu meu apaixonei por Atypical. A série acompanha o protagonista Sam, um adolescente no espectro do autismo; seus pais, em crise de casamento; e a irmã Casey.

Todos os personagens, dos protagonistas aos secundários, são muito bem construídos e encantadores (como Zahid, o melhor amigo de Sam, e Evan, o namorado da Casey). Com apenas meia hora por episódio, é o tipo de seriado que te deixa bem, aquece o coração, é fofa e divertida. O passatempo que eu precisava em 2019, um ano pesado.

2. Years and Years

As minhas séries preferidas de 2019 - Sobre livros e traduções

Years and Years, por outro lado, foi uma das minhas preferidas também, mas é daquelas mindfuckers que te deixam com medo do futuro.

Apesar de ser uma distopia britânica que inventa um futuro a partir da reeleição de Donald Trump, ela é totalmente verossímil ao imaginar como diferentes assuntos atuais e emergentes podem desandar nos próximos anos: nacionalismo, crise imigratória, a relação entre EUA e China, homofobia, xenofobia, o uso da tecnologia, crise financeira, etc.

A série acompanha uma família inglesa formada por duas irmãs e dois irmãos: uma ativista, uma cadeirante, um gay e um casal interracial. A série pula um, dois, cinco anos por episódio e tudo vai se agravando exponencialmente.

Years and Years é pesada e assustadora.

3. Merlí

As minhas séries preferidas de 2019 - Sobre livros e traduções

Eu quase desisti de Merlí nos primeiros episódios e só continuei porque meu marido tinha escolhido essa para assistirmos juntos. A série acompanha a construção do relacionamento entre um professor de filosofia chamado Merlí e uma sala de colegial em Barcelona.

A premissa e os conflitos dos primeiros capítulos me pareceram uma versão catalã da Malhação. Mas eu fiquei contente em persistir porque acabei me encantando. Ela é divertida e sensível. Eu ri e chorei com vários episódios (coisa que eu adoro em uma série).

O Erick escolheu esse seriado exatamente por se passar na Catalunha, onde ele fez um intercâmbio de um mês ano retrasado e nós visitamos juntos em 2019. É interessante sair do nicho Estados Unidos-Reino Unido, ouvir um idioma tão diferente e aprender costumes de outra cultura.

Merlí é um anti-herói. Ele é cativante, cheio de lábia, bom vivant, galanteador e esperto. Todas essas características fazem com que você o ame e o deteste o tempo todo. Cada episódio é focado em um filósofo diferente escolhido pelo professor para fazer os estudantes refletirem sobre algum assunto específico. Merlí tem métodos de ensino não tradicionais, o que incomoda um pouco o corpo docente da escola.

A sala é formada por adolescentes com todo tipo de agonia, como todo xófen. Bruno, por exemplo, é filho de Merlí, mas eles não têm uma boa relação. De fato, são praticamente desconhecidos um para o outro. A série acompanha as reviravoltas nas amizades, relacionamentos amorosos, paixonites e também na relação entre os estudantes e suas respectivas famílias. O elenco é excelente!

Um ponto forte é como eles conseguem mostrar dois lados do mesmo tema. A maconha, por exemplo: um personagem tem um surto psicótico e outro consegue reatar a amizade com o pai fazendo uso medicinal da droga.

A Camila do A Bookaholic Girl fez um post bem completinho sobre Merlí para quem se interessar!

4. Chernobyl

As minhas séries preferidas de 2019 - Sobre livros e traduções

Não vou discorrer muito sobre Chernobyl porque ela já foi discutida à exaustão ao longo de 2019. É uma minissérie magistral sobre o desastre nuclear de 1986. Eu fiquei horrorizada assistindo (e não tive estômago pra ver a parte dos animais, eu fechava os olhos mesmo).

É quase inconcebível que uma tragédia dessa magnitude tenha acontecido de verdade e a série soube passar essa sensação bem forte.

5. Succession

As minhas séries preferidas de 2019 - Sobre livros e traduções

Essa também foi escolha do meu marido para assistirmos juntos. Quando começamos, eu não sabia quase nada sobre a série, estranhei um pouco no primeiro episódio, mas acabei envolvida com a trama cheia de puxadas de tapetes e facadas pelas costas (figurativamente, claro).

Succession é sobre uma família milionária de Nova York. O pai criou um império midiático e é um dos homens mais poderosos do mundo. No entanto, está velho e com a saúde frágil. Basicamente, a trama acompanha os quatro filhos dele na luta para ser o seu sucessor.

O ponto forte, pra mim, são as atuações. Em especial de Kieran Culkin (de quem eu já era fã por causa de Scott Pilgrim Contra o Mundo) e Matthew Macfadyen (bem diferente do seu papel de Mr. Darcy em Orgulho e Preconceito).

Succession acabou de ganhar como melhor série de drama no Globo de Ouro 2020!

Extras

Não posso deixar de mencionar também Fleabag, que já virou sensação. Phoebe Waller-Bridge é, pra mim, tão gênio quanto Donald Glover – ambos atuam, escrevem, dirigem, produzem e têm um timing incrível para comédia.

Teve também The Morning Show, com o elenco sensacional formado por Jennifer Aniston, Reese Witherspoon e Steve Carell (amo), sobre um escândalo de assédio sexual no programa matinal mais famoso dos Estados Unidos. É uma história sobre o movimento Me Too e todas as suas nuances e complexidades.

Eu maratonei This is us mais rápido do que gostaria de admitir. Ela é, de fato, linda e emocionante como ouvia todo mundo dizer. Eu sou bem manteiga derretida, mas não chorei tanto quanto esperava. A série é sobre um casal branco que perde um dos trigêmeos no parto e resolve adotar um recém-nascido negro, que foi encontrado e trazido ao hospital no mesmo dia. This is us se passa no presente, com o trio já aos 37 anos, e acompanha todo o passado da família por meio de flashbacks.

Killing Eve e Maravilhosa Sra. Maisel foram as minhas duas maiores decepções de 2019. A primeira, eu resolvi assistir depois de ouvir a Ellen Degeneres elogiar horrores, mas não me empolgou. Achei chatinha.

Por ser da mesma criadora de Gilmore Girls, minha série preferida da vida, eu fui com muita expectativa ao assistir à Maravilhosa Sra. Maisel e isso é sempre um problema. É boa, mas não tuuuudo isso. A série é sobre a carreira de comediante stand-up de Midge Maisel na década de 50. Eu entendo que o humor dela funciona em outra época, mas eu não acho a personagem engraçada. Todo o absurdo e o falatório que funcionam em Gilmore Girls ficam artificiais nessa série.

Observações

  • Pequenas grandes mentiras é um dos meus livros preferidos. Apesar de ter adorado a adaptação em Big little lies e achar o elenco maravilhoso, a segunda temporada é completamente desnecessária e tenho receio que, para continuar fazendo dinheiro com a história, eles acabem estragando os personagens igual tem acontecido com Harry Potter.
  • Vi váaaarias séries desta lista apenas por estar “sem ter o que ver”, por exemplo, Disque amiga para matar, Friends from College, Boneca Russa, Good Girls e Você. São legaizinhas, boas para passar o tempo e distrair, mas nada demais.
  • Tem algumas de não-ficção, como Ordem na Casa com Marie Kondo, The Defiant Ones e Christiane Amanpour: Amor e Sexo pelo Mundo (recomendo muito essa). Deste gênero, a minha preferia é Queer Eye, que eu amo de paixão e reassisti a todas as temporadas esse ano, inclusive a do Japão.
  • Grace and Frankie foi a única série que eu abandonei após ver uma temporada inteira. Apesar de adorar as duas atrizes, não fiquei com vontade de continuar.
  • Ah, eu não consegui terminar Olhos que condenam também. Eu assisti ao primeiro episódio e passei mal. Foi uma das coisas mais tristes e revoltantes que eu já vi, não tive coragem de continuar.
  • Depois de reassistir Master of None com meu marido, não achei tão boa quanto me lembrava. Já Atlanta, vi pela terceira vez as duas temporadas e acho cada vez mais genial.
  • Depois de rever todas as temporadas de Gilmore Girls e terminar de assistir ao Revival de novo, eu chorei por duas horas seguidas (sem exagero).
  • Sex Education provavelmente foi a melhor surpresa de 2019. Comecei a assistir de curiosa, só porque ouvi bastante gente comentar no Instagram e gostei bem mais do que esperava.
  • Tenho um carinho especial por The Umbrella Academy por ser adaptação da HQ de Gabriel Bá, quadrinista brasileiro, e Gerard Way, vocalista do My Chemical Romance (que, aliás, voltou em 2019).

Qual foi a melhor série que você assistiu em 2019?

Sobre o autor

Brenda Bellani

Jornalista/tradutora/leitora.

7 Comentários

  • Que post legal! Por curiosidade, peguei minha lista e contei: em 2019 assisti 17 séries. E ainda tem muitas outras na minha lista para ver em breve, como Chernobyl e The Mandalorian. Sem contar Star Trek, que eu nem conto, porque é algo que eu estou sempre assistindo e não acaba jamais (amo isso).
    Atypical é mesmo um achado. Todos os personagens são cativantes e eu sofro querendo que eles sejam felizes (eu queria pegar o Evan pra criar, pqp que fofo). Achei que essa última temporada teve coisas forçadas demais (como a namorada do Zahid, que era absurdamente cretina, e a Izzie traindo a Casey muito gratuitamente). Mas gostei mesmo assim, eu fico sempre feliz de ver essa série.
    Já Sex Education é o contrário: eu quero que todos eles se fodam porque são uns cretinos, salvo algumas exceções (o Eric <3). Como disse um amigo meu "achei que depois que eu saí da escola, nunca mais teria que lidar com esse tipo de gente".
    Boneca russa foi uma das minhas favoritas do ano, achei que valeu a pena sim e sempre indico. Mas não conheço muita gente que tenha gostado tanto que nem eu…

    • Nossa, Babi, SIM pra tudo o que você disse. Hahahaha
      Eu quero pegar todo mundo pra cuidar na série Atypical, principalmente o Evan. Aquele episódio do término, eu assisti duas vezes seguidas de tanto que eu gostei. Acho que forçaram mesmo na terceira temporada. Não foi das melhores, mas eu gostei mesmo assim também. Quanto à Izzie, ela é bastante problemática e não tem uma estrutura familiar para ajudá-la. Imagino que isso seja uma das razões para esses comportamentos erráticos dela. E porque eles precisavam de um climão pra season finale, né… Hahaha

      Hahaha Eu amo o Eric de Sex Education! Esse personagem já vale a série toda! <3 Mas é verdade, um mais tosco que o outro. Achei a série engraçada e diferente até, apesar dos dramas adolescentes de sempre.

  • Mas gente vou usar esse post como guia para escolher as séries para assistir em 2020 hahaha. Quanta coisa e adorei a diversidade de temas. Várias estão na minha ista! Obrigada pela indicação do meu post sobre Merlí! 😉

  • Gostei muito das indicações, Brenda. Minha série favorita de 2019 foi Fleabag. Fiquei com vontade de ver Succession. Sua lista vai me ajudar a não ficar em dúvida toda vez que pego o controle. Rs

    • Fleabag é sensacional! <3 É uma pena que tenha tão poucos episódios.

      Se você assistir alguma série da lista, depois me conta o que achou? =)

      Obrigada por ler e volte sempre,
      Brenda

  • Brendaaa 🙂 sua linda!
    Depois de um tempão que eu te falei lá no Instagram que viria aqui pra ler esse seu post, só agora que consegui! rs 😅
    Então, várias dessas que você listou eu tenho vontade de ver… Mas acho que a principal é This is us, que eu tô esperando chegar completa no Prime e só tem as duas primeiras temporadas lá (já que a Fox, que eu não tenho, é a detentora dos direitos dessa série); mas tá demorando tantooo 🤦🏻‍♀️ mas fazer o quê né, eu fico aqui, aguardando ansiosamente! 🙏🏻🙃
    Enfim, assisti Você (ainda não vi a segunda temporada); Greenleaf (também gostei, mas ainda falta ver a última temporada). Acho que eu elegeria Bates Motel, que eu adorei, se for pra escolher uma só, porque é muito boa! 👏🏻👏🏻 Valeu pelas indicações. 😘

Deixe um Comentário

Copyright © 2016.