Especial Turismo Literário

A Biblioteca Municipal de Americana: sobre exposições e eventos culturais gratuitos

A Biblioteca Municipal de Americana “Professora Jandira Basseto Pântano”, no interior de São Paulo, tem mais de 60 anos, mas ocupa o seu prédio atual desde os anos 80, bem no centro da cidade. Um casarão antigo e imponente de dois andares na Praça Comendador Müller, próximo à Avenida Brasil, a principal da cidade, e ao terminal urbano. Apesar de sua excelente localização e dos mais de 209 mil habitantes de Americana, ela é a única biblioteca da cidade.

Se você procurar por dados oficiais sobre a biblioteca no site da Prefeitura de Americana, encontrará números e informações ultrapassados, referentes ao ano de 1998. Isto seria um problema se a Biblioteca não tivesse um site e uma página no Facebook próprios e rotineiramente atualizados: novidades no acervo, a programação mensal de eventos da biblioteca, eventuais mudanças no horário de atendimento, as exposições que já passaram por ela, catálogo digital,etc.

Basta entrar no bibliotecadeamericana.com para saber tudo o que está acontecendo na Biblioteca e também para seguir o site e receber os novos posts na sua caixa de email.

Reconhecer o perfil do público e, consequentemente, a identidade da biblioteca

O site, a página no Facebook e a agenda de eventos são mantidos por Leonardo Luciano, o Orientador Cultural há 22 anos na Biblioteca de Americana. “A variação de acervo é uma coisa curiosa. Tinha muito disso da quantidade de cadastros e de livros no acervo, parecia uma corrida”, conta ele sobre o processo que tirou o enfoque no número de usuários e de livros do acervo e o colocou no perfil do público recorrente da biblioteca. “Chegou um momento em que nosso acervo estava entupido de coisas e a procura por material era muito diferente da política de cadastro. Daí você começa a procurar entender melhor o papel da biblioteca pública, o que ela deve significar, principalmente na comunidade em que ela está inserida.”

A partir de 2010, a Biblioteca de Americana precisou repensar sua identidade e adequá-la para atender à demanda atual, que, com o advento da internet, passou a ser outra, desde o atendimento até o acervo.

Atualmente, tem-se registro de um público muito mais feminino (cerca de 70% de todos os usuários) e de jovens e adultos – o público infantil ainda é pequeno por depender dos adultos para trazê-lo à Biblioteca; e a procura majoritária é por materiais de entretenimento. “[Os usuários] querem livros de literatura mesmo, muito mais do que de assuntos gerais”, explica Leonardo.

E como atender a esta nova demanda e ao mesmo tempo atrair mais pessoas à Biblioteca?

Eventos culturais e sessões de cinema

Especificamente para atrair as crianças, a Biblioteca de Americana tem sala infanto-juvenil, com livros adequados à idade e também uma estante toda de histórias em quadrinhos; assim como uma ludoteca com jogos, brinquedos, pelúcias, materiais especiais e até mesmo uma arara com fantasias.

No entanto, o forte mesmo da Biblioteca de Americana são os seus eventos e atividades culturais! Eles se dividem em dois tipos principais: os recorrentes e os esporádicos. Todos os meses a Biblioteca de Americana recebe uma exposição diferente de artistas locais e até mesmo nacionais, geralmente de pinturas ou ilustrações. Os trabalhos ficam expostos no corredor principal do térreo ou em alguma sala específica do prédio pelo período de um a dois meses.

Trabalhos da EXPO COLETIVA OCUPA, atual exposição na Biblioteca, com artes de Amanda Paschoal, Renan Silva, Isadora Fernandes e Matheus Souza. A Biblioteca realizou um evento de abertura da EXPO com apresentações musicais e comida vegana.

O Leonardo organiza também sessões de cinema gratuitas em uma sala do térreo, com lotação máxima de 40 pessoas. Os filmes são retroprojetados na parede e o próprio Leonardo faz a seleção dos longas a serem exibidos, por demanda e disponibilidade, desde lançamentos e blockbusters a obras cults e lado B. “Eu vou acompanhando os lançamentos e costuro com coisas menos conhecidas que são encantadoras. O público vem um dia ver o desenho da Pixar e depois, na próxima semana, vem ver um desenho francês que ninguém sabia e que todo mundo adora.”

Graças à Licença Guarda-Chuva da Motion Picture Licensing Corporation, que permite realizar exibições públicas de obras de grandes empresas cinematográficas, o catálogo de filmes da Biblioteca é extremamente atual e conceituado.

As sessões acontecem todas as quartas-feiras, às 14h.

Feira de Troca de Livros

A Feira de Troca de Livros é um evento semestral, realizadas em abril e outubro. A Biblioteca reserva uma sala por quatro dias para a exposição de centenas de livros disponíveis de todos os gêneros, e os usuários podem levar seus próprios exemplares para a troca. Não são aceitas obras didáticas, técnicas e enciclopédias.

Quer expor na Biblioteca de Americana?

Qualquer pessoa pode sugerir uma exposição e até mesmo um evento cultural condizente com o espaço e o perfil da Biblioteca, como lançamentos de livros, peças teatrais e bate-papos. Você deve enviar a sua proposta por email para o Leonardo pelo endereço eletrônico bibliotecadeamericana@gmail.com, juntamente com o seu currículo e imagens do seu trabalho. O Orientador Cultural receberá e avaliará a sua proposta. Em fevereiro deste ano, por exemplo, eu fui ao bate-papo com o escritor local Juliano Schiato, autor de O balanço vazio, sobre a publicação independente de livros.

Outra solicitação que você pode fazer por este mesmo email é a de visitas monitoradas para crianças ou grupos escolares, ou então sessões de cinema especiais para um público específico, como o de grupos de terceira idade, asilos e institutos beneficentes.

O importante é ter em mente que é proibido lucrar com o uso do espaço público. Todo evento deve ser gratuito. No entanto, Leonardo conta que artistas que já expuseram na Biblioteca conseguiram vender seus trabalhos posteriormente e até entraram em contato para agradecer pelo espaço e divulgação.

O Orientador Cultural tem planos para ampliar a variedade de eventos acolhidos pela Biblioteca – desde o Americanazine, festival de fanzines que acontece na Praça Comendador Müller, a uma edição do Sarau dos Desapaixonados, um evento alternativo já tradicional na cidade que mistura apresentações musicais, exposições de artesanato e culinária vegana.

Doações e negociações de multas

Entre as principais carências da Biblioteca estão os livros didáticos e acadêmicos atuais, nas suas mais recentes edições. Se você estiver concluindo o seu curso universitário e não sabe o que fazer com todos os seus livros que ficarão sem uso, a Biblioteca os aceitará de bom grado e com certeza terão outros estudantes interessados em usá-los para os estudos. “Deveria existir uma política pública de manutenção desta atualização do acervo de pesquisa, mas não há. A gente trabalha com doação”, explica o Orientador Cultural.

Quanto às doações de livros literários, a única orientação é que estejam em bom estado. Os livros recebidos podem ganhar diferentes destinos: irem automaticamente para o acervo, serem usados como duplicatas para substituir um exemplar mais antigo ou estragado, ou ir para a Feira de Troca de Livros ou para a Tenda Leve e Leia.

As doações recebidas pela Biblioteca Municipal são ainda mais importantes pelo fato de ela não poder fazer novas aquisições para o seu próprio acervo. O dinheiro recebido pelas multas por atraso de devolução – que custam assustadores R$ 2,15 diários por livro – deve ser entregue diretamente à Secretaria de Cultura. Se o usuário estiver com uma multa muito alta, pode negociar para trocar o valor por um livro novo indicado pela Biblioteca a fim de abater a dívida.

E as doações não precisam se limitar apenas aos livros: dependendo do estado, a Biblioteca também aceita sofás, móveis e aparelhos eletrônicos que possam ser de uso do público.

Serviços e Passaportes

Os usuários podem retirar até dois exemplares por vez e permanecer por oito dias úteis – de segunda a sexta -, portanto, não há uma data fixa de uma semana. Em média, a pessoa fica com os livros por uns dez dias corridos, contando finais de semana e feriados. Além disso, não há necessidade de memorizar o seu número de registro, a identificação é feita pela digital. A Biblioteca tem 17 funcionários, desde o atendimento à administração e manutenção, e há dez salas e espaços de todos os tamanhos abertos ao público para leitura, acervo, fotocópias, atividades infantis e pesquisa.

Para manter um controle mais preciso das atividades de cada usuário dentro da Biblioteca e também identificar melhor o seu público, foi implementado um sistema de “Passaportes”. Trata-se de formulários no formato de marcadores de livro que devem ser preenchidos com alguns dados pessoais, como nome, endereço e idade, para entrar na Biblioteca. Todo livro retirado lá dentro é anotado no passaporte do usuário, que deve ser deixado no balcão de atendimento ao sair. As informações servem também para as estatísticas da biblioteca – como, por exemplo, identificar de quais bairros vêm os usuários, sexo, faixa etária e os horários de mais movimento – para qualificar o seu público e também entender como alcançar outros usuários.

Moradores de Americana, Santa Bárbara d’Oeste e Nova Odessa podem ter cadastro na Biblioteca. É necessário apresentar comprovante de residência e RG. A foto e o registro da digital são feitas no momento do cadastro.

SERVIÇO:

Endereço: Praça Comendador Müller, 172, Centro
Telefone: (19) 3461-9157
E-mail: biblioadm@americana.sp.gov.br
Site: www.bibliotecadeamericana.com
Horário de Funcionamento: De segunda as sexta-feira, 09h – 18h.

Galeria de Fotos da Biblioteca de Americana

(Clique para ver todas as imagens da galeria.)

Sobre o autor

Brenda Bellani

Deixe um Comentário