Escritores Especial

O que significa ser escritor?

Dia do Escritor 2017

No Dia do Escritor, o SLET propõe uma pergunta de respostas tão subjetivas quanto infinitas. O que significa ser um autor?

Para mim, que vivencio apenas o lado do leitor, ser escritor é saber domar as palavras, dominar a arte de contar histórias e mediar a empatia.

É ser um hipnotista, ao fazer com que o leitor se abstraia tão completamente da realidade, que, ao fechar o livro, sinta-se como se tivesse acabado de retornar de uma viagem astral.

Para você, o que significa ser escritor?

Neste 25 de julho, data em que se comemora o Dia Nacional do Escritor, o SLET quis saber a opinião de quem está do lado de lá: aqueles que vivem na pele o que é ser Escritor.

Juliano Schiavo

Dia do Escritor 2017 - Juliano Schiavo

“Ser escritor é ser um contador de história, um excelente ouvinte e um atento leitor de outras histórias. É se entregar e se dedicar a construir conexões com as palavras, buscando sempre evocar alguma sensação ao leitor. É uma tarefa árdua, pois sempre achamos que o nosso texto deve ser tecido novamente: sempre há uma palavra a trocar e cortar, a incluir e a ressaltar. Ser escritor é ser um sonhador no mundo real. Você se entrega a uma história, vivencia ela, cria mundos, cria personagens, dá um sopro de vida, buscando transformar o imaginário naquela dúvida: realmente existiu? Não se trata de um dom, mas de uma vontade de querer, cada vez mais, se aperfeiçoar na arte da escrita.”

Juliano Schiavo, autor de O balanço vazio, Sociedade do lixo, O silêncio das mariposas, O mundo além da ponte de amoreira, e Hocus Pólen – O feitiço da bruxa.


Marcelo Maluf

A imensidão íntima dos carneiros, Marcelo Maluf

“Muitas coisas. Em primeiro lugar, significa nunca estar sozinho. Estou sempre acompanhado de fantasmas/personagens. Significa ser tudo aquilo que desde a minha adolescência eu almejei. Significa estar presente, escrever é a minha maneira de realizar o aqui/agora, é a minha forma de meditar. Significa também respeitar as minhas limitações, ser o que se é e não aquilo que querem que eu seja. Significa ao mesmo tempo, compreender que a palavra ‘escritor’ não dá conta do que realmente eu sou. Significa amar e odiar as palavras, significa mergulhar no meu desejo e fome de fabulação, significa olhar para o mundo e saber que ele também sou eu e vice-versa.

Enfim, significa para mim a maneira que eu encontrei de me conhecer um pouco melhor e de saber que as perguntas jamais deixarão de existir e que não há resposta que possa dar conta do que ser escritor pode realmente significar para mim. No mais, sei que escrever e criar é necessário. É meu vocare. Minha condição existencial no mundo.”

Marcelo Maluf, autor do romance A imensidão íntima dos carneiros, vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura 2016 na categoria “autor estreante com mais de 40 anos”, e outras obras infanto-juvenis.


B. Craus Nantai

Dia do Escritor 2017 - B. Craus Nantai

“A pergunta é simples, porém junto com a resposta vem um mundo de coisas, trazidas desde nosso mais profundo interior. Escrever é alívio para a alma, e sempre foi assim para mim. Mas SER ESCRITORA é uma maneira de transmitir meus mundos, meus personagens, de forma que isso fique eternizado em uma folha de papel e principalmente na memória (e no coração) das pessoas. Ser escritora é criar vidas, vivenciar situações que ninguém mais pensou – e compartilhar isso! Então, é como viver um sonho. Mas acordada.”

B. Craus Nantai, ilustradora e autora de Vila Treze, Pirata até que se prove o contrário! e A trilha dos cogumelos.


Vinicius Galera

Dia do Escritor 2017 - Vinicius Galera

“Autor de apenas um romance publicado, talvez seja cedo para responder à pergunta sobre o significado de minha atividade, mas acredito que ser escritor, entre tantas outras coisas, é dar um testemunho vivido ou imaginado por meio da escrita.

Comparo a feitura de um texto à composição de uma escultura ou de um móvel. Gosto da imagem da talhadeira, do formão e da plaina. Para mim, é impossível pensar o texto sem pensar em seus rudimentos. Quando me sento para escrever o que está em jogo é o processo, que espero resulte em algo belo.

No terreno da ficção onde chapinho, me reconheço e me desconheço. À mesa o estranho e o familiar convivem. A escrita exige que o escritor se revire, mas ele não é um ser estanque. Suas impressões e sua experiência de vida não bastam, ainda que sejam fundamentais para criar a sua voz. Escrever é dialogar incessantemente consigo e com o mundo, que naturalmente inclui a tradição a que o autor pertence.

Ser escritor significa construir um texto capaz de produzir uma sensação, dar ao mundo algo que ele não tinha e que, mesmo que pareça desnecessário, traga em si a possibilidade de deslocamento.”

Vinicius Galera, autor do romance Linha Verde e mestre em Literatura Brasileira.


João José da Costa

Dia do Escritor 2017 - João José da Costa

“Ser escritor para mim é ter o prazer de transcrever em uma folha de papel seus sonhos, fantasias, mensagens, filosofia de vida, crenças, experiências, valores, entre tantas outras manifestações do comportamento humano, na esperança de ter um valor e capacidade de despertar o interesse de leitores que possam se beneficiar dos textos escritos, somando para o seu desenvolvimento, cultura, lazer e experiência, de forma a transformar estes sentimentos do escritor em algo que tenha um caráter de eternidade e utilidade para a humanidade…”

João José da Costa, autor e idealizador do site Literatura Educativa.


Isa Prospero

Dia do Escritor 2017 - Isa Prospero

“Ser escritor, para mim, é uma necessidade e um privilégio. Necessidade porque palavras e histórias às vezes surgem na cabeça e não deixam a pessoa em paz se não forem escritas. E privilégio porque nem todos têm tempo para se dedicar à escrita ou a possibilidade de publicar (qualquer que seja o meio pelo qual se faz isso). E com grandes poderes… Pensar que alguém vai tirar um tempo da sua vida, e muitas vezes pagar para ler o que escrevi, me faz pensar na escrita como uma responsabilidade.

Minha meta é sempre entreter — envolver o leitor para que, pelos minutos ou horas que ele passe com meu texto, se esqueça da vida e dos seus problemas. É uma das coisas que a leitura sempre fez por mim. E se vier algo além disso — se eu conseguir tocar alguém, escrever um personagem em quem a pessoa se reconheça, fazê-la pensar em algo de outra forma — é uma realização além.

Minha citação preferida sobre leitura (e, por consequência, escrita) vem da peça The History Boys, the Alan Bennett: ‘Os melhores momentos quando se lê é quando você encontra algo — um pensamento, um sentimento, um modo de olhar para as coisas — que você achava especial e particular. E agora aqui está, escrito por outra pessoa, uma pessoa que você nunca conheceu, alguém que pode até estar morto. E é como se uma mão tivesse se estendido e tomado a sua.’

Escrever é sempre uma aposta: começar um diálogo que você não sabe se, como ou quando vai ser continuado. Mas, se for, cria uma conexão com alguém que você nem conhece e com quem, de outra forma, jamais teria falado. E isso é um pouco mágico, e me dá um senso de propósito e a vontade de continuar tentando.”

Isa Prospero, Volto quando puder.


Cristina Judar

Dia do Escritor 2017 - Cristina Judar

“É dar voz a uma esquisitice do olhar que, se não fosse articulada pela literatura, ficaria deslocada, sem espaço de expressão. É falar sobre aquilo que não está contido em palavras, num exercício contraditório de usá-las para, ao menos de alguma forma, tentar me aproximar do sentido original das coisas. Escrever é dar saltos no tempo, não necessariamente e apenas na imaginação do autor, mas em relação à própria experiência da escrita. Cada livro é um célula-colméia detentora de leis, sentidos, ritmos e processos que, no decorrer das estações, caem por terra e perdem sua serventia. E um novo trabalho exige faro, tato, solas firmes – mas quase flutuantes – e a intenção da descoberta de um planeta que pode vir redondo ou cheio de arestas e vazios”.

Cristina Judar, autora das HQS Lina e Vermelho, Vivo; do livro de contos Roteiros para uma vida curta; e do romance Oito do Sete.


Larissa Siriani

Dia do Escritor 2017 - Larissa Siriani

“É uma parte intrínseca de quem eu sou. Eu sou tão escritora quanto sou mulher, quanto sou humana, quanto sou Larissa; eu nasci assim, mas também me tornei assim, descobrindo aos poucos o que isso significa e o impacto que tem na minha vida. Hoje, ser escritora é contar histórias e divertir, mas também é emocionar e ensinar. Ser escritora é minha profissão, meu sonho e minha responsabilidade. Escrever, pra mim, é tudo.”

Larissa Siriani, autora da série As Bruxas de Oxford,  do romance Amor plus size, entre outras obras.


Jorge Ialanji Filholini

Dia do Escritor 2017 - Jorge Ialanji Filholini

“Para mim é o único meio de criar absurdos que forneçam reflexões da sociedade em que estou inserido. O absurdo que o escritor investe na sua narrativa não é meramente uma fuga da realidade e sim traz para a leitura as últimas consequências de uma visão do nosso tempo. E tudo isto sendo necessário, ao autor, desenvolver a ideia, elemento narrativo e personagens, de modo a mostrar, na linguagem, o presente que o cerca. Denunciando ou apenas abordando uma conduta, o escritor está ali na sua jornada de abrir a mente para o debate.”

Jorge Ialanji Filholini, escritor e editor. Administra o site cultural Livre Opinião – Ideias em Debate e autor do livro de contos Somos mais limpos pela manhã.


Lucas Alencar

Dia do Escritor 2017 - Lucas Alencar

“Muito se romantiza a figura do escritor, mas a verdade é que somos meros contadores de histórias. A única diferença entre quem escreve e aquela senhorinha que gosta de rememorar e contar histórias do passado por puro prazer é que escritores têm suas histórias publicadas por aí.

Durante meus primeiros encontros com a ficção, ainda na infância, nunca me encantei pelo nome do escritor impresso na capa do livro. Mas o meu avô, que contava causos do arco da velha, ah, esse me encantava! Quando quem escreve se esquece de que sua função é contar uma história de maneira que possa se fazer entender e emocionar quem lê, vira essa figura distante, falsamente elegante e pomposa que costumamos chamar de escritor.”

Lucas Alencar, autor de Casas Esquecidas.


Fabiana Madruga

Dia do Escritor 2017 - Fabiana Madruga

“Ser escritora, pra mim, não é escrever, é reescrever. Reescrever nossa versão de tudo que vimos, que vivemos, que sentimos. Reescrever tudo o que não fomos, todos os ‘se’ que nunca se concretizaram, aqueles que não chegamos a ser, todas as vidas que não couberam dentro da nossa. Reescrever nossa própria história de todas as maneiras diferentes que poderiam tê-la tornado diferente. Reescrever tudo que deixamos pra lá, deixamos pra trás, deixamos pra depois. Reescrever o mundo todo de novo e quantas vezes quisermos.”

Fabiana Madruga, autora dos romances Clube dos Herdeiros: como nossos pais, Clube dos Herdeiros: nada será como antes e Aristocracia Perdida.


Luisa Geisler

Dia do Escritor 2017 - Luisa Geisler

“Para mim, ser escritora é matar um leão por dia, mas ficar remoendo o uso do clichê.”

Luisa Geisler, autora de Contos de mentira e Quiçá, vencedores do Prêmio Sesc de Literatura, respectivamente, nas categorias “contos” e “romance”; e do mais recente Luzes de emergência se acenderão automaticamente.

E para você, o que significa ser escritor?

Sobre o autor

Brenda Bellani

6 Comentários

Deixe um Comentário