Escritores Evento Literário

Milton Hatoum recomenda obra de Bolaño no bate-papo do Sesc Campinas

O Sesc Campinas deu início a um novo projeto literário chamado “O que você está lendo?” que trará escritores nacionais para recomendar obras e autores importantes para eles, como forma de incentivo a leitura. Todos os livros recomendados estão disponíveis na biblioteca do Sesc de Campinas.

O primeiro convidado para o bate-papo foi o manauense Milton Hatoum, numa noite de quarta-feira. Sentado sozinho no palco do teatro, com uma calma e lucidez hipnotizantes, e a sua voz de radialista, o autor de Dois Irmãos passou meia hora discorrendo sobre a sua recomendação literária:

Noturnos do Chile, de Roberto Bolaño

Traduzido por Eduardo Brandão, o romance de 2000 do autor chileno traz como protagonista um padre conservador, membro da Opus Dei, que também é crítico literário e um poeta medíocre, mas com pretensão de ser canônico.

Assista ao Milton Hatoum lendo um trecho da primeira página do livro:

Roberto Bolaño fez fama póstuma. Segundo Hatoum, ela era um “escritor à deriva, fora do mainstream e dos grandes eventos literários”. Antes de contar um pouco sobre a trama, o amazonense falou sobre todos os significados que a palavra “noturnos” do título pode carregar, desde o golpe de Pinochet no Chile – com quem o personagem principal do livro tem contato direto – até a melancolia da alma e o lado mais obscuro do ser humano.

Escutar Milton Hatoum falando de Noturnos do Chile com certeza me deixou com vontade de ler a obra. Ele ressaltou sobre o papel decisivo da igreja católica no golpe, o que leva o narrador a entrar em crise (em certo momento do livro, ele é convidado a dar aula de Marxismo para a junta militar), e a presença de grandes nomes da literatura chilena, inclusive Neruda, que aparecem na trama como fantasmas. Há também a discussão sobre a ligação da literatura com o mal.

“Tem muitas referências veladas no livro, pistas e enigmas que o leitor percebe só na segunda leitura, o que sempre acontece com os bons livros”, conclui Hatoum.

Perguntas e respostas:

Adaptações

Depois da sua recomendação literária, respondendo as perguntas do público, Hatoum falou sobre o filme Órfãos do Eldorado e a mini-série Dois irmãos, ambos adaptações de seus livros. “Os personagens que você imagina estão na sua cabeça e concepção e na dos leitores também. Eles assistem aos capítulos e não os imaginam assim, como são retratados”, ele verbaliza o que todos que leram os livros antes devem ter pensado ao assistir às adaptações. Apesar de algumas reservas sobre mudanças feitas nas tramas, principalmente no filme, Hatoum deixou claro que a adaptação é a visão do diretor e que ele gostou dos dois trabalhos (mas comentou que Zana não era exatamente daquele jeito que ele imaginava quando escreveu Dois irmãos).

Processo de escrita

Perguntado sobre o processo de escrita de seus livros, Hatoum respondeu: “Só escrevo quando tenho na minha cabeça alguma coisa muito armada, até mesmo o título”. Ele prefere o papel e caneta e um pouco de solidão para conseguir escrever.

Apesar de acreditar que para escrever é preciso ter coragem, porque exige muito da pessoa, inclusive fisicamente, ele comentou também não entender os escritores que dizem sofrer de bloqueio criativo ou para conseguir concluir um livro. “A faxineira de casa é que sofre, ela precisa pegar três ônibus para chegar ao trabalho”, diz ele. Se senta para escrever e não sai nada, ele vai fazer qualquer outra coisa até sentir vontade de voltar para o papel e caneta.

 A sua relação com os seus romances publicados

Milton Hatoum tem quatro romances publicados, um livro de contos e um de crônicas (“que eu não menosprezo”, acrescentou). Uma das meninas mais jovens da plateia perguntou qual a relação dele com os livros já publicados. Se, quando ele os relê, mudaria algo. Sua resposta tirou risos da plateia: “Eu não li meus livros, Deus me livre! Eu iria começar a reescrever e a pensar como eu pude escrever isso”.

Sobre o autor

Brenda Bellani

3 Comentários

  • Aiiiii Brenda! Que projeto maravilhoso! Depois que li “Dois irmãos” e participei de um evento com o autor, os gêmeos Fábio Moon & Gabriel Bá, além da roteirista da minissérie da Globo, fiquei apaixonada! <3 Preciso muito ler as demais obras do autor, e me aprofundar nas leituras do Bolaño, só li o conto "O olho Silva" e adorei. Bjos

    • Camila, você vai em tantos eventos literários legais! Ainda bem que você escreve sobre eles no seu blog pra gente, que mora fora da capital, sentir o gostinho de como foram! <3 Hahaha Acredita que eu li a adaptação para HQ dos gêmeos antes de ler a obra original? Haha Eu adoooro o Fábio Moon e o Gabriel Bá, fui no lançamento da graphic novel com eles aqui em Campinas e só depois comprei a obra do Hatoum. Mas tanto original quando adaptação são maravilhosas né? Hatoum é a calma em pessoa, nossa, que gostoso ouvi-lo falar! Hahaha Eu tenho As cinzas do Norte, mas ainda não li. E eu não li nada de Bolaño! =s No entanto, o evento com o Hatoum me deixou com muita vontade de ler o autor chileno!

      Beijo,
      Brenda

      • Aiii Brenda, tento ir ao máximo de eventos que consigo, rs … Em relação a “Dois irmãos”, eu amei a obra original e suas adaptações! <3 Quero muito ler outras obras dos gêmeos e do Milton Hatoum, o problema é tempo, pq nesse semestre a faculdade tem me atolado, rs … Bjos <3

Deixe um Comentário