Eu recomendo Livros

Os 27 crushes de Molly, de Becky Albertalli

Os 27 crushes de Molly, de Becky Albertalli, é um romance juvenil que transborda fofurice e ao mesmo tempo traz vários questionamentos importantes.

O livro foi publicado no Brasil pela Intrínseca com tradução de Regiane Winarski.

Molly tem 17 anos, 27 crushes, zero namorados e zero beijos. Apesar de ter várias paixonites ao longo dos anos, a menina é muito insegura e nunca investiu de verdade em nenhum desses crushes, muito menos – Deus a livre – se declarou para alguém.

 Molly e sua família

Ela é uma garota acima do peso e está cansada de ouvir coisas do tipo “você tem um rosto tão bonito”. Ela sabe se vestir super bem, mas sempre prefere esconder o corpo, mesmo que esteja calor.

Molly mora em Maryland, nos Estados Unidos, com a sua irmã gêmea, Cassie, e com suas duas mães, Nadine e Patty. As gêmeas são “bebês de proveta”; Nadine engravidou com a inseminação artificial de um doador de esperma. Elas têm um irmãozinho, filho biológico de Patty – que é negra e, quando as duas eram crianças e ela as levava para passear, as pessoas achavam que Patty era a babá.

Apesar de gêmeas, Molly e Cassie são totalmente diferentes uma da outra, tanto fisicamente quanto em personalidade, mas são muito unidas. A irmã é extrovertida, atrevida e impulsiva – o total oposto da protagonista.

Quando Cassie se apaixona e arruma uma namorada firme, a Mina, Molly sente que a irmã está se afastando e não sabe como lidar com as mudanças, mesmo achando a Mina perfeita para a irmã.

Molly também está começando em um trabalho novo, onde conhece Reid, um cara nerd e simpático, com quem ela logo pega amizade. Ao mesmo tempo, a irmã está tentando “arranjar” Will para a irmã, o amigo hipster da namorada. Molly se interessa pelos dois e quando percebe que há possibilidades de passarem de crush para rolo real, ela não sabe como agir.

Representatividade

Já deu para perceber que o livro está recheado de questões importantes e interessantes, né? Desde o preconceito com gordos e aceitação pessoal até casamento gay e primeiro amor, Os 27 crushes de Molly é um livro que consegue ser fofo, engraçadinho, leve e, ao mesmo tempo, te fazer pensar sobre diferentes assuntos e também se lembrar da sua própria adolescência.

É fácil se identificar com Molly e as suas inseguranças, o seu overthinking e as conversas mentais que tem com ela mesma! Eu, quando adolescente, também detestava me colocar em situações de vulnerabilidade. Mas o que ela vai percebendo aos poucos, assim como todo mundo, é que é impossível viver a vida toda numa bolha. Uma hora a gente tem que se machucar – e sobreviver!

Em vários aspectos, Molly me lembrou a Lara Jean, de Jenny Han: as duas moram perto de Washington, D.C., a capital norte-americana; adoram artesanatos, trabalhos manuais e decoração; as duas ajudaram a organizar o casamento dos pais; são inseguras e românticas; vivem um primeiro amor de adolescência; amam o Pinterest; etc.

Referências culturais e atuais

O livro é bastante atual e Albertalli sabe usar a língua dos jovens muito bem. Ela menciona o Pinterest, filtros do Instagram, emojis das conversas por mensagens, etc.; e faz muitas referências culturais – LinManuel Miranda, por exemplo, é um dos crushes de Molly. Sem contar os temas contemporâneos, como a legalização do casamento homoafetivo nos Estados Unidos, em 2015.

“Eu sabia que a Suprema Corte votaria sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas por alguma razão essa informação se perdeu em minha mente. Acho que eu não esperava que fosse aprovado.”

Eu ainda prefiro o seu romance de estreia, Simon vs a agenda homo sapiens, também publicado pela Intrínseca, que foi um dos meus favoritos do ano passado. No entanto, Albertalli consegue manter as melhores qualidades do seu estilo de escrita neste novo livro, fazendo com que ele seja uma delícia e rápido de ler – daqueles que servem pra distrair mesmo e também encantam o leitor.

Se eu tiver que fazer uma crítica apenas, diria que Os 27 crushes de Molly se esforça demais para ser fofo. Mas, conhecendo o estilo da autora, eu não acho que é esforço nenhum.

Trechos de Os 27 crushes de Molly

“Tem mesmo uma atmosfera sonhadora no dia de hoje. Até nossos clientes parecem mais românticos. Estão todos de mãos dadas. Parece uma arca de Noé com o filtro Valencia do Instagram.”

“Abby sai com nerds, mas alguém bonita daquele jeito pode namorar qualquer um, e as pessoas sabem que escolheu o nerd de propósito. Poderia ser o cara gostoso, mas ela não quis. Mas, quando se é uma nerd gorda que gosta de outro nerd gordo, todo mundo acha que você só arrumou alguém do seu nível.”

“Então é assim que é não ser cautelosa. Eu e sinto meio nauseada, como se estivesse com um novo vírus estranhamente agradável, no ponto intermediário entre vomitar e me tornar um emoji com olhos de coração.”

“Eu: Ei, cérebro. Vamos pensar em uma coisa legal para dizer!

Cérebro: AHHHHHHHHHHHH.”

Sobre o autor

Brenda Bellani

Deixe um Comentário