Eu recomendo Livros

Retalhos, de Craig Thompson

Retalhos, de Craig Thompson

A premiada graphic novel Retalhos, de Craig Thompson, é uma história autobiográfica do autor, sobre infância e adolescência e sua criação cristã em uma zona rural de Wisconsin, nos EUA.

Publicada pela Quadrinhos na Cia. e traduzida por (novidade!) Érico Assis, Retalhos é, sim, uma história de amor, mas é também, principalmente, uma coleção de memórias de culpa, remorso e nostalgia.

Retalhos do passado

Acompanhando as mudanças das paisagens de sua cidadezinha natal no Meio Oeste norte-americano, Thompson relembra desde os primeiros anos de sua infância em uma família de cristãos fervorosos e humildes. Ele e o irmão caçula foram obrigados a dividir uma cama por anos, motivo que ocasionava muitas brigas entre eles e também algumas das melhores memórias compartilhadas.

As lembranças da sua relação com o irmão passam por diferentes fases – as brincadeiras de faz-de-conta, a distância trazida pela adolescência e principalmente a sua falha em protegê-lo.

É interessante como o quadrinista foge do “comum” quando relembra das aventuras com o irmão. Os quadrinhos ficam desordenados e as linhas bagunçadas.

A criação cristã

A melhor parte da HQ é o seu olhar crítico, agora adulto, sobre a sua criação cristã. Quando criança, a sensação predominante causada pela religião era o medo; na adolescência, a vergonha – com os hormônios e desejos à flor da pele. Desde pequeno, ele e o irmão amavam desenhar, mas Thompson chegou até a queimar suas ilustrações em certo ponto da adolescência, porque não era “coisa de Deus”, e também a considerar uma vida voltada à igreja.

À medida que crescia, ele foi questionando os ensinamentos da religião, inclusive partes da Bíblia. Mesmo assim, foi em um acampamento cristão que ele conheceu Raina.

Raina

Por motivos distintos, a vida claustrofóbica dos dois fez com que se apegassem um ao outro rapidamente. Thompson consegue convencer os pais a deixá-lo passar duas semanas na casa da amiga e, nessa viagem, os dois se apaixonam.

O problema é que Raina tem responsabilidades demais em sua família – tem dois irmãos adotados com Síndrome de Down, uma irmã mais velha irresponsável e os pais em processo de separação. Já Craig era devoto demais para sucumbir aos desejos carnais. Apesar de sincera e necessária, a relação dos dois era muito conflitante.

Mas são os conflitos que fazem dos 15 dias compartilhados tão belos e melancólicos, em meio à neve e muitos “e se”. O título se deve à colcha de retalhos que Raina faz para Craig e que acaba virando um símbolo do seu passado esquecido.

Acompanhar o autor e a Raina é lembrar-se do que as pessoas comuns passam todos os dias à nossa volta. São histórias cotidianas de desafios, aceitação e resiliência.

Caminhos da vida

O mais forte em Retalhos é, com certeza, o confronto de Thompson com a fé e a religião. Tudo culmina em um momento em que as coisas nas quais acreditava começam a deixar de fazer sentido e ele questiona toda a sua vida até então.

Thompson remói em Retalhos tudo aquilo que lhe incomoda em relação ao seu passado, revivendo acontecimentos que ele gostaria de poder mudar ou esquecer. Talvez uma vez colocadas em papel, ele possa ter exorcizado os seus remorsos.

Trechos de Retalhos

(Clique na imagem para ver todas as fotos da galeria.)

Sobre o autor

Brenda Bellani

Deixe um Comentário